Viaje pela Europa adquirindo conhecimentos mundanos

Em termos atuais, o Grand Tour pode ser considerado o protótipo do ano sabático: uma prolongada viagem que servia como rito de passagem para jovens que desejavam ver o mundo antes de “crescer” e se tornar adultos responsáveis.

A tradição começou em meados do século XVII, atingiu o auge no século XVIII e sobreviveu por mais dois séculos, até que desapareceu em virtude das viagens ferroviárias e do surgimento do turismo comercial. Naquela época, eram principalmente os homens britânicos de classes abastadas que faziam a excursão, que podia durar de alguns meses a quatro anos.

Viajar era demorado, difícil e caro, e naturalmente se tornou privilégio dos ricos. Muitas vezes, a verdadeira razão para sair de casa era viver a Mãe de Todas as Aventuras antes de aceitar o papel de membro da aristocracia.

Além de ampliar sua visão de mundo, o Tour era a única forma de a elite cultural consumir a arte e a música que tanto prezavam, ou seja, as tradições da Antiguidade e do Renascimento.

Embora a Itália fosse o destino preferido, com Roma, Florença e Nápoles como paradas mais importantes, Paris era a cidade mais popular, por ser facilmente acessível a partir da Inglaterra e partilhar muitas confluências com a cultura inglesa (o francês, por exemplo, era a segunda língua dos ricos da época).

E, embora mergulhar na cultura clássica fosse uma motivação primordial, isso muitas vezes era esquecido durante semanas, eventualmente meses, conforme os grand touristas se aclimatavam à vida da sua cidade de escolha, interagindo com os locais numa maratona de prazeres hedonistas.

Normalmente, o Grand Tour consistia em cruzar o canal da Mancha de Dover para Calais, seguindo então para Paris. De lá, a rota poderia cruzar os Alpes até a Itália, ou atravessar o mar Mediterrâneo. Ocasionalmente, o Tour fazia desvios para Portugal, Espanha, Alemanha, Europa Oriental ou países do Báltico, mas o interesse principal se mantinha em visitar as clássicas cidades românticas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *