Quem nunca quis embarcar em um trem de brinquedo?

A Ferrovia Himalaica de Darjeeling, declarada Patrimônio Mundial da Unesco em 1999, começa sua lenta e sinuosa viagem em Nova Jalpaiguri, um movimentado entreposto comercial da planície, antes de se esgueirar pelas montanhas de Bengala Ocidental sobre trilhos de 61 cm de largura, até chegar à idílica estação da doce Darjeeling, empoleirada às portas do Himalaia.

A ferrovia foi concebida em 1879, e o trecho original de Siliguri a Kurseong foi concluído em 23 de agosto de 1880; em 4 de julho de 1881, foi inaugurada a linha até Darjeeling.

Em mais de 130 anos de existência, a ferrovia sobreviveu a terremotos, ciclones e eventuais inundações, transportou militares até acampamentos nos arredores de Ghoom e Darjeeling e evitou a concorrência dos ônibus que percorrem a rodovia Hill Cart.

Os trilhos muitas vezes passam pelo próprio acostamento da rodovia, cruzando várias estradas em mais de cem ocasiões e tirando finas de casas e estabelecimentos comerciais no caminho.

Pelo tamanho e pela proximidade, parece mais um trole do que um trem importante, razão pela qual é apelidado de “Trem de Brinquedo para Darjeeling”.

Puxado por locomotivas a vapor fabricadas antes de 1925, sua aparência e seu ambiente não mudaram muito desde então, o que explica a presença de entusiastas ferroviários de todo o mundo entre as hordas que nele embarcam.

Se a viagem até Darjeeling já é fantástica, o destino, então, é sublime. Quando cansar de olhar para o Khangchendzonga (8.598 m), poderá explorar edifícios coloniais, jardins botânicos e templos hindus e budistas.

As ruas íngremes e estreitas estão cheias de coloridas lojas de suvenir e artesanato; sempre há um bom chá quente e excelentes pratos indianos e tibetanos nos arredores, e quem gosta de caminhar tem excelentes opções que refazem antigas rotas comerciais.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of