Embarque nesse trem e passe por uma viagem incrível pelas geleiras da Suíça

Ela pode pode não ser tão longa quanto a Transiberiana, mas essa clássica viagem ferroviária compensa sua brevidade com um impressionante espetáculo vertical.

De todas as muitas ferrovias que cortam as montanhas da Suíça, nenhuma é tão mítica quanto o Expresso das Geleiras.

Quando as estâncias alpinas suíças se popularizaram entre os ricos e famosos da Europa, no começo do século XX, ganhou força a ideia de uma ligação ferroviária entre Zermatt e St. Moritz, a nordeste.

A viagem inaugural no trem a vapor aconteceu em 1930, e desde então o percurso de sete horas e meia não perdeu mais o seu apelo.

De Zermatt, o portal para o Matterhorn, o trem serpenteia lentamente por um vale até Brig, ao norte, de onde faz uma curva para nordeste, passando pelo lindo trecho ocidental do vale do Ródano, na direção do passo de Furka (que ele evita graças a um túnel), descendo então para Andermatt antes de voltar a subir até o passo de Oberalp, literalmente o ponto alto da viagem, a 2.044 m. Daí a linha acompanha os meandros do rio Vorderrhein, passando por Disentis/Mustér, antes de chegar a Chur.

A linha então prossegue até St. Moritz, que desde 1864 atrai nobres, ricaços e deslumbrados em geral. A estrada de ferro resistiu aos primeiros anos da Segunda Guerra Mundial, mas ficou paralisada de 1943 a 1946.

O trem foi sazonal nos seus primeiros cinquenta anos, por causa das nevascas e do risco de avalanches.

Na verdade, a cada outono, os cabos elétricos suspensos entre Oberwald e Realp eram retirados, e a ponte do Steffenbach era desmontada, para ser refeita na primavera seguinte.

Quando o túnel de Furka foi aberto, em 1982, a ferrovia finalmente pôde funcionar o ano todo, e ela é ainda mais espetacular durante o inverno.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of